Notícias Envie esse conteúdo para o email de um amigo Exibe a versão de impressão da página Retorna para a página anterior

09.11.11 Campanha para erradicar a violência contra mulheres e crianças lança sua nova imagem
(09/11/2011 - 09:15)

Autoridades nacionais e das Nações Unidas apresentam a segunda edição da campanha “Ativa-te Uruguai” no Museu Zorrilla

 
Montevidéu (Uruguai) – Na terça, 8 de novembro às 18 horas, no Museu Zorrilla, as
 Nações Unidas em Uruguai lançará a nova imagem da campanha “ATIVA-TE  Uruguai pelo fim da violência contra as Mulheres e meninas”.  Esta iniciativa  vem a reforçar o trabalho de numerosas organizações e instituições e faz parte da campanha “ Una-se pelo fim da violência contra mulheres e meninas”, que o Secretário Geral  das Nações Unidas, Sr. Ban Ki-moon lançou em 2008.
 
Estarão presentes no evento, autoridades do governo, pessoas da vida cultural, esportiva e política do país e nele, farão uso da palavra: a Senadora Lucía Topolansky, la Sra. Asha-Rose Migiro, Vice-secretária Geral das Nações Unidas,  a Sra. Helen Clark, Presidenta do Grupo das Nações Unidas para o Desenvolvimento, a Sra. Michelle Bachelet, Diretora Executiva de ONU Mulheres,  Alicia Bárcena, Secretária Executiva da CEPAL e a Sra. Susan McDade, Coordenadora Residente das Nações Unidas.
 
Esta ação coincide com a celebração em Montevidéu da IV Conferência Intergovernamental de alto nível sobre Unidos na Ação, patrocinada pelo governo de Uruguai e as Nações Unidas, na qual serão avaliados os resultados desta nova forma de gestão da cooperação para o Desenvolvimento e da qual Uruguai é um dos oito países pilotos a nível mundial. Esta campanha em Uruguai foi utilizada como exemplo de boa prática interagencial e interinstitucional, pois participam dela, desde suas experiências e competências específicas, várias agencias de Nações Unidas, autoridades nacionais, departamentais e locais e organizações da sociedade civil.
 
“NO/ON” contra a violência
A campanha “ATIVA-TE Uruguai” se lançou em outubro de 2010 utilizando a palavra NO na cor magenta como elemento gráfico, que podia transformar-se em ON como elemento simbólico de ação. Na primeira fase da campanha uma centena de pessoas, anônimas e públicas, prestou sua imagem e em todo o país foram realizadas ações que incluíam marchas, oficinas, seminários, concertos e encontros de jovens. Também o Secretário Geral  das Nações Unidas, Sr. Ban-ki Moon, durante sua visita a Uruguai em junho último, quis fotografar-se mostrando sua adesão à iniciativa.
 
Durante este ano, a campanha ideada pela Fundação Visionair e com fotografias de Sussette Kok, insistirá novamente na importância que os homens têm na tarefa de acabar com a violência contra as Mulheres e meninas, com foco nos jovens. Continuam usando o NO/ON, mas as pessoas fotografadas são duplas de homens, cada um deles segurando uma das duas letras N e O. Desta maneira, procura-se mostrar que a eliminação da violência é uma responsabilidade comum e que os homens têm uma parte importante no compromisso de erradicá-la. As imagens desta nova fase da campanha  serão expostas no pátio do Museu. 
 
Continua trabalho conjunto
A avaliação da primeira fase da campanha, mostrou o impacto visual que teve a proposta comunicativa. Ainda mais importante, a campanha conseguiu unir os compromissos e esforços de múltiples instituições governamentais e da sociedade civil organizada que participam, em parceria, tanto na definição dos conteúdos quanto na sua realização.
 
É assim que continua trabalhando nesta campanha o Instituto Nacional das Mulheres/Mides, Ministério do Interior, Ministério de Saúde Pública, Instituto da Criança e Adolescente do Uruguai (INAU), Administração Nacional de Educação Pública (ANEP), Congresso de Prefeitos, Rede Uruguaia contra a Violência Doméstica e Sexual, CNS Mulheres e a Bancada Bicameral Feminina. Também se trabalha em parceria com os espaços interinstitucionais que enfrenta a violência por razões de gênero, incluindo o Sistema Integral de Proteção à Infância e Adolescência contra a Violência (SIPIAV), o Conselho Nacional Consultivo de luta contra a Violência Doméstica e Mesa Interinstitucional sobre Trata e Tráfico de Mulheres. Colabora também o Ministério de Educação e Cultura através dos Centros MEC, a Direção Nacional de Direitos Humanos e a Comissão Especializada de Gênero; o Instituto Nacional da Juventude/Mides e todas as prefeituras do país.  Apóia a iniciativa a Agência de Cooperação Espanhola para o Desenvolvimento (AECID) e a Delegação da União Européia.
 


  Sitio publicado em 06/06/2006